05 Janeiro 2011

Desactivação da Banda Militar de Évora


Devido aos cortes orçamentais no exército para 2011, prepara-se a desactivação da Banda Militar de Évora.

Mais de duas dezenas de militares que constituem esta banda, residentes em Évora e arredores, vão ter de escolher outra guarnição militar, tendo de deslocar as suas famílias para outros pontos do país, o que causa grande transtorno nos dias de hoje, face à anunciada redução de vencimentos.

A banda era uma mais-valia para o Alentejo, pois dava incentivo aos jovens para se valorizarem a nível musical e para mais tarde se integrarem nela. Sem a banda, os jovens que queiram seguir a música a nível profissional, vão ter de abandonar a região e deslocar-se para Lisboa, o local mais próximo, ou para o Porto, Açores e Madeira (onde, por enquanto, ainda há Bandas Militares).

E, assim, se vai desertificando o Alentejo.

12 Comments:

Anonymous Anónimo said...

Fechou o posto dos CTT situado nas Portas de Moura,instituições públicas e reformados do centro histórico desta zona ,ficam assim privados deste serviço público.Assim vai a excelência na nossa cidade.

05 Janeiro, 2011 08:22  
Anonymous Anónimo said...

ohhhhh que pena!!!!

Há "meninos" das bandas militares reformados com pensão completa - 1000 e tal a 2000 e tal - ainda sem 50 anos de idade!!!
E quem perde o emprego em Évora deslocaliza-se para onde?
e as familias dos desempregados??

Que mais valia cultural trazia a banda à região? Quem usufruia?
ou só tocavam nas festividades militares, nas paradas e nos juramentos de bandeira?

Quem quer tocar e aprender, pode dirigir-se à liberalitas, à banda do Redondo, de Machede, de Reguengos...de Montemor...Portel...ou vai para os conservatórios regionais aprender as técnicas.



E os jovens que querem ser Engenheiros, Arquitectos, e não tem possibilidades de exercer em Évora fazem o quê?
Está boa!

05 Janeiro, 2011 10:15  
Anonymous Anónimo said...

@10:15
Certas miopias tratam-se e podem ser corrigidas. Infelizmente, para a miopia e mesquinhez do teu comentário, sustentado na ignorância, na confusão e na inveja, não creio que haja tratamento.

05 Janeiro, 2011 10:44  
Anonymous Anónimo said...

@10:44

miopias?????

Deves estar a mangar com quem ganha o ordenado minimo a recibo verde

05 Janeiro, 2011 10:46  
Anonymous Anónimo said...

A desactivação da Banda do Exército de Évora tem um claro significado político: a perda de poder e influência de Évora e do Alentejo na organização política e administrativa do país.
Só assim se compreende que se desactive a banda de Évora, e se mantenham as bandas dos Açores, da Madeira e do Porto.

05 Janeiro, 2011 10:51  
Anonymous Anónimo said...

Há bandas militares a mais para dimensão do país.

05 Janeiro, 2011 11:29  
Anonymous Anónimo said...

Portugal vivia como um pais rico,quando na verdade nem na classe media se encontrava ,estava numa classe pobre a viver de crédito.
Agora estoirou!

05 Janeiro, 2011 13:09  
Anonymous Anónimo said...

banda da Marinha
banda da FAP
banda da GNR
banda da PSP
6 bandas do exército
Havia ainda a da guarda fiscal
Falta alguma?

Ena tanta banda!

Há assim tanto movimento militar num país de 10 milhoes de habitantes? Não dava para os musicos serem militares "normais" (carimbar uns papéis isso) durante o dia e ensaiarem à noite como aq banda do Redondo?

05 Janeiro, 2011 15:06  
Anonymous Anónimo said...

Vamos lá ver se a poupança vai chegar aos balúrdios gastos em guerras inúteis e que não nos dizem respeito, como é o caso do Kosovo e do Afeganistão, onde Portugal tem contingentes militares.

Vamos lá ver se a poupança vai chegar à compra de material de guerra de que não precisamos para nada, mas que outros nos impingem para alimentar a sua industria de guerra, como é o caso dos subamrinos alemães, dos aviões holandeses e dos tanques austríacos. Isto para não falar do inenarrável negócio dos carros de combate da PSP, para a cimeira da NATO de Novembro, mas que ainda não chegaram.

Sabem quantas centenas de bandas filarmónicas se poderiam criar e sustentar SÓ com estes gastos inúteis?

05 Janeiro, 2011 15:39  
Anonymous Anónimo said...

@15:29

Em vez de bandas filarmónicas militares em demasia, preferia que esse dinheiro das guerras fosse canalizado para as bandas filarmónicas civis, como a malograda banda dos amadores

05 Janeiro, 2011 16:32  
Anonymous Anónimo said...

Quando ao comentário que diz que a banda militar évora devia funcionar como banda de redondo...... ja tinha dado o berro á mais tempo... o favorecimento dos k la trabalham ainda é pior que o esquema de cunhas....ehehehehe

07 Janeiro, 2011 12:30  
Anonymous Anónimo said...

e logo a banda de redondo.... deve ser onde os recursos humanos estão mais mal aproveitados, pois com a quantidade de jovens que tem deveria ter um maestro à altura e não aquilo que se passa, onde possivelmente estará o mais incompetente e com menos conhecimentos musicais que já vi....

23 Abril, 2011 16:33  

Enviar um comentário

<< Home